sexta-feira, 17 de junho de 2016

Temas Variados

...................
Dos Direitos

Fala-se muito sobre os vários de direitos que todos temos. Direito de ir e vir, de pensar, de se expressar, de ser feliz... enfim, de viver, e viver bem. Também se luta muito para que tais direitos sejam garantidos e praticáveis. A luta é boa, necessária, e deve se dar, principalmente, no campo da educação, único campo de batalha que permite sucesso na campanha.

Mas fala-se pouco, ou quase nada, dos deveres. Qualquer pessoa que se interessou, minimamente que seja, pela a Ética ou pelo Direito e adjacências, deve ter ouvido a célebre frase: "para todo direito existe um dever", sendo que o oposto também é válido, ou seja, pra todo dever existe um direito. E é assim, nesse mata-mata entre direitos e deveres ou, parafraseando Montesquieu, "nesse sistema de freios e contrapesos", que a sociedade vai caminhando equilibrada, sem pender pra lado nenhum, sem correr o risco de esmagar ninguém.

Por isso, é sempre interessante, ao exigir um direito, examinar muito bem se os deveres que o autorizam estão sendo cumpridos, sem jamais esquecer de que cumprir dever não é fazer favor.

...................
Dos Talentos

Vejo-me artista desde pequeno, e minha vida foi, por muito tempo, um exercício de reafirmação diária, para a sociedade e para mim mesmo, primeiro sobre o ser ou não ser artista e, depois, se fiz mesmo a escolha certa. Hoje, sou bem feliz por não ser mais assim. Tenho a certeza de estar fazendo a maioria das coisas que deveria estar fazendo, afinal, sempre tem algo a mais que vida pode nos apresentar.

Mas, ao meu redor, vejo um grande número de pessoas agoniadas, tristes por se negarem ou sequer se conhecerem direito, sofrendo como eu sofria antes de me reconhecer no que sou. O processo é difícil mesmo, demanda um mergulho fundo em si, diálogos internos e sinceros, estudo, trabalho, força e, nem todos tem disposição para tanto esforço. Existe, também, a pressão social e cultural que nos soterra e imobiliza sob toneladas escombros de preguiça, de leviandades e de medos. Nestas condições, me disse uma terapeuta: "Você tem apenas duas opções: ou aceita a vida que tem, pro estrago ser menor e colhermos alguns sorrisos; ou muda de vida, pra vida que realmente quer ter, e se realiza plenamente. A opção é inteira e somente sua."

Depois de me formar em Direito, ser bancário, segurança de eventos, lavador de pratos, balconista de lanchonete, garçom de churrascaria, me encontrei músico e escritor. Mas sempre executei muito bem todos os outros trabalhos e, assim, percebi que todos temos talento pra sermos o que quisermos. É só uma questão de conhecimento, escolha e dedicação.

Após encontrar-se no que se faz de melhor, a próxima fase é decidir como usar os talentos descobertos da melhor forma, sempre para o bem. Como, ganhando um martelo, escolhesse construir um abrigo ao invés de atacar um desafeto. É claro que, durante a construção da casa eu corro o risco de cometer equívocos, causar acidentes ou me machucar. O instrumento é o mesmo, mas a intenção, a meta final é tão nobre, que vale a pena por as mãos à obra e correr todo risco.

Um comentário:

Ronni Goltara disse...

ao menos na música, qualquer acidente é arte.