quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Linchamento em Umuarama [Segundas Considerações]

- e as últimas por um tempo -

Foi interessante ver as repercussões que um fato histórico e geral pode ter, intimamente, na vida de uma pessoa. O que comprova que a história da humanidade é, antes de tudo a história da vida de cada um. Falo especificamente sobre o linchamento que aconteceu em Umuarama, em Dezembro de 1986. Se quiser saber da história é só ler o texto que publiquei aqui no blog.

Neste post vou colocar alguns dos comentários feitos por visitantes, comentários que demonstram esse contato direto de várias pessoas com um fato tão ignorado e quase esquecido (à força, certamente) pelo pessoal da região. Obviamente são apenas alguns, afinal, todos que se manifestaram fizeram isso por ter algo interessante a contar ou opinar.

Lá vão:

.......Hastür Palim! em 22 de dezembro de 2009
"Eu morava em Umuarama nessa época! Passaram na frente de casa Arrastando o Corpo!"

Torremo_MH em 22 de dezembro de 2009
"o tiozinho da esfirraria lá perto do alfa me disse uma vez que na época o acontecimento tomou destaque nacional de uma tal forma que até no programa do chico anísio faziam piada dizendo "eu vo mandar você pra umuarama!!"
Torremo_MH em 28 de dezembro de 2009
"meu primo me disse que a tia dele tinha um VHS com as imagens desse dia, só que parece q a polícia confiscou as fitas... vou tentar conseguir mais informações."

Agora um dos comentários mais interessantes. Pelo que entendi essa garota, que hoje mora na Argentina, mas já morou aqui em Umuarama e seu depoimento mostra que, pelo menos um dos rapazes linchados, já estava causando confusão há muito tempo e, portanto, tava procurando sarna pra se coçar. Achou.
shey em 11 de janeiro de 2010
"oiii...naun sei muito q decir....ja q estava ai neste dia...te conto algo...extamente un ano antes deste epsodio un dos tre q foraun presos tinha atirado no meu irmao,e meu irmao ficou muito mal quase morreu forao creio q 3 o 4 tiros de un revolver calibre 22.... tdo isso ocorreu en uma saida de un baile nesta epoca eu tinha 8 anos apenas e lembro q neste ano de 85 naun tivemos natal.... ao ano seguinte como se fosse planejado o tipo q atirou no meu irmao eh preso por este crime q comentaste...do rapaz y de esta moza..minha mae festejou qdo eles forao presos mas eu me lembro q tdos sairan d csa y me dijeron naun saia ja voltamos t buscar...eu d noite naun posso lembrar a horas exata....minha mae voltou y me levou ate a praza dos tamoyos ja q os corpos ia passar por ai y nos norava a uma quadra da praza....minha mae chorava tdos estava assustados enfim...agora tenho 32 anos y por casualidade me acordei de esto e comezei a buscar por la internet...gracias sheila...."

E agora, provavelmente o comentário mais enriquecedor do meu texto. Um link para a reportagem da TV Tarobá, da época dos acontecimentos, onde o delegado mostra a delegacia revirada pela invasão das pessoas e vai contando como tudo aconteceu por lá.
Ed em 26 de janeiro de 2010
"Coloquei um vídeo no Youtube sobre esse fato. É o delegado contando como aconteceu o linchamento.
Parabéns pelo texto."
Certamente existem mais comentários pertinentes a se ler. Se quiser lê-los, o que eu recomendo, clique aqui. Portanto, obrigado a todos que já comentaram e a todos que comentarão e também dividirão a sua experiência com a gente.

6 comentários:

Caroline disse...

Oi Tiago!! Mto louca essa história... Lembrei que o pessoal da minha sala (quando eu fazia publicidade e propaganda) fizeram um documentário a respeito do assunto. Não me lembro qual foi o grupo que fez. Fiquei sabendo da história nesta época e fiquei chocadíssima. Eles possuem algumas imagens e tals. Me parecem que eram imagens fortes se não me engano. Se eu souber de algo, te aviso. Bj

Dione disse...

realmente tragica a historia... ja tinha ouvido falar sobre ela, mas nao sabia bem ao certo o que havia acontecido na epoca! adimiravel sua pesquisa sobre o fato, e sempre bom ter o conhecimento da nossa historia, sendo ele bom ou ruim.
Parabens!

Priscilla Mamus disse...

De onde vim (Pará), crimes desse nível são comumente (embora comum está longe de ser um adjetivo ideal para esse tipo de violência) vistos. Não sabia dessa história aqui tão perto e, realmente, estou assustada.
Como vc mesmo disse, um crime não justifica o outro, mas muita coisa pode mesmo ser aprendida.

Beijos

Paula Antonio Cosmo disse...

Morei em Umuarama oito anos, e nunca soube nada a respeito. Desde que li aqui, comecei a pesquisar mais a respeito. Achei um blog com comentários preciosos, onde as pessoas chegaram a dar nomes as bois (http://angelorigon.blogspot.com/2007/11/fria-umuaramense.html). Não sei se só ousadia, mas coragem. Parabéns pelo blog.

marlene r. silva disse...

ola sou marlene r. silva nascida em umuarama a mae de um deles foi minha professora pessoa muito honesta e um deles que era filho dela tambem isso so vem a justificar em que compania devemos escolher e que caminhos tambem o caminho de Deus que e o bem ou o caminho do mal que sabe qual e so da nisso ai e os pais e familia que sofre. mas nesse tempo fazia 2 anos que eu estava em sao paulo fiquei sabendo que foi muito horrorizante o que aconteceu pois minha familia ainda mora la nao muito longe da delegacia fiquei muito assustada com com tudo isso e muito mais triste pele familia desse que era filho da minha professora que marcou a minha vida minha primeira professora 2 filhos naquele tempo
filhos maravilhados quando criancas creio ainda com 12 a 13 anos ou menos nao vou citar nomes deles mas eram pessoas de boas indoles em fim essa tragedia so pude ver hoje como aconteceu 07.04.2010 fiquei chocaa nunca vi algo igual pessoas comemorando como se fosse uma festa hoje creio que muitos que estavam ali nao tem paz na vida dele deve ter pesadelo com tudo isso sabe quem tem o direito de cobrar e unico e esclusivo Deus ninguem pode fazer justica com as proprias maos por pior que seja um crime nao justifica o outro so deu ver ontem fiquei trantornada me desculpem a minha opiniao nao sei nem qual foi o crime que ele cometeu mas nada justifica o que o povo precisa e de Deus o mundo precisa de Deus m.r.s. pas no mundo e o que Deus deseja;;;;;;;;;;;;;;

Silvio disse...

Olá!!

Estava conversando no meu trabalho e nem sei porque o assunto versou sobre linchamentos e eu lembrei deste caso. Estava na casa do meu irmão, no interior de São paulo, véspera de natal, quando o caso passou na TV (1986). Estudava com duas meninas de Umuarama e na volta das férias elas me contaram com detalhes (detalhes delas e quem conta um conto geralmente aumenta um ponto, mas não achei que elas mentiriam sobre os fatos). Segundo elas, os rapazes (se é que se pode chamá-los assim) pegaram o casal que namorava dentro do carro. Eram noivos de casamento marcado. Levaram para um lugar ermo, próximo ao aeroporto de Umuarama e seviciaram a moça na frente do noivo. Depois assassinaram o noivo (queima de arquivo)e acharam que tinham assassinado a noiva. Atiraram nela também. Para certificarem-se de que ela estava mesmo morta, queimaram seus seios e outras partes do corpo com cigarros. Achando o serviço completo, abandonaram os corpos e foram embora. Ocorre que durante o crime, eles se trataram pelos nomes. A moça, depois de fingir-se de morta enquanto apagavam cigarros em seus seios, arrastou-se até uma estrada e conseguiu socorro. Sabendo os nomes dos envolvidos, não foi difícil para a polícia pegá-los (afinal, eles nem sabiam que ela sobrevivera e nem estavam preocupados em foragir-se). Em 15 horas a polícia elucidou o crime, que pela violência, chocou a então pacata Umuarama. Segundo as meninas, um dos caras era filho de uma conhecida professora do Colégio Estadual da cidade, outro era filho de um proprietário de farmácia. Estavam em quatro, um fugiu (menor de idade)e nunca ouvi falar se foi pego. À noite, as pessoas foram até a delegacia e os rapazes, pela janela da cela, desafiavam a população com gestos obscenos e gritando para que entrassem e fossem pegá-los. Na reconstituição do crime, com ironia, o rapaz que assassinou o noivo, pediu que o delegado lhe desse uma arma carregada que ele faria de novo da mesma forma. Tal coisa aconteceu e foi ao ar por uma FM da cidade que cobria a reconstituição. Na outra noite, uma turba enfurecida invadiu a delegacia e linchou os três. Dizem que o cotejo desfilou por diversas ruas de Umuarama, arrastados por automóveis, inclusive em frente da casa da noiva, e terminou na praça central da cidade. Misturado a pneus e banhados em gasolina, os corpos foram incinerados. Ficaram queimando por toda a madrugada. Só no outro dia cedo a polícia foi até o local para retirar o que restou da rua. Estive em Umuarama há dois anos e toquei no assunto. O máximo que consegui saber foi onde os corpos foram queimados. As pessoas evitam o assunto. Talvez por constrangimento, pois isso não orgulha ninguém.