quarta-feira, 17 de junho de 2009

De Umuarama a Palmas (Primeiras Impressões)

Entre os dias 10 e 15 de junho me envolvi numa imensa e muito válida viagem até Palmas, capital do Tocantins. Foram 2.000Km pra ir e outros 2.000Km pra voltar (dois dias indo, dois dias vindo!), os 4.000Km mais tranquilos que já rodei, e olha que fomos de carro, com o nosso guerreiro "Átila, o Uno". Exceto por um trecho de uns 100Km em Minas Gerais, a BR-153 (Transbrasiliana) vai de Presidente Prudente (SP) até Paraíso do Tocantins (TO) feito um tapete! (sim, o melhor caminho pra quem sai do interior do Paraná é esse). Então Aqui vai uma geral da viagem, que pode se dividir em mais capítulos, que só dependem da minha criatividade (que está em baixa).

Olha só o caminho de Umuarama até Palmas!

O motivo da aventura foi participar do 5º PMW Rock Festival, com a minha banda. Entre as vinte e tantas bandas que se apresentaram nos dois dias de festival (12 e 13) se destacaram os nacionalmente famosos Pato Fu, Ratos de Porão, Bnegão & Seletores de Freqüência e o Mundo Livre S/A, que dispensam comentários. Tinham outras bandas de de outros estados, como a Baranga e a Pedra, ambas de São Paulo, mas me chamaram atenção as apresentações de ótimas bandas locais como a Baba de Mumm rá, a Boddah Diciro e a La Cecília. Enfim, o festival foi bem legal e divertido, com uma pluralidade sonora interessante. Parabéns pra galera da organização e da equipe equipe de apoio, pessoal gente fina mesmo.

Eu nunca havia planejado conhecer Palmas, e foi surpreendente chegar lá tocando com uma banda de música autoral. A cidade é bem bonita e planejada, no melhor estilo Brasília de ser. Ruas imensas, com muito espaço verde, praças, monumentos, ótimos lugares pra fotos e passeios. Por ter sido planejada pra carros, tudo fica um tanto longe e, sabe-se lá o quão ecológico é isso. Mas faz um tanto de sentido evitar que se ande à pé por ali, o calor durante o dia já não é menos do que 30ºC e o pessoal de lá me disse que já registraram fabulosos 50ºC (!) no termômetro que tem na entrada de um Shopping Center.

Ruas de Palmas durante o dia.

À noite a temperatura é mais amena, dá até pra andar à pé, mas continua calorzinho. E como quase não chove durante a estiagem do meio do ano, as madrugadas dessa época são ótimas para longas caminhadas sob um céu limpo e estrelado, com direito a praticamente nenhum carro pela rua. Show de bola!

A primeira grande visão que se tem da cidade, pra quem chega pela TO-080, é a Ponte Fernando Henrique Cardoso, que cruza o Lago de Palmas, no Rio Tocantins. São 8,5Km sobre um espelho d'água azul esverdeado que chega a ter 22m de profundidade. Um lance monstruoso e lindo que não tem como esquecer, é a coroação ideal de uma viagem longa e quente até lá. Ao redor do lago têm várias prainhas bem urbanizadas que a galera usa pra se refrescar, além da Ilha do Canela, que fica no meio do lago. E, não se preocupem, não tem piranhas como me disseram (né, Cecília!)

Imagem de satélite da ponte (a linha branca) e do Lago de Palmas. A cidade é aqui do lado direito.

O Lago e a Ponte à noitinha. Luzes de Palmas ao fundo.

Ainda na metereologia, descobri que por lá é Verão quando aqui é Inverno e Inverno quando aqui é Verão. A diferença não é no termômetro, quase sempre rodeando os 30ºC, mas é que no "inverno" palmense chove praticamente todos os dias.

Outra coisa legal é que pros Palmenses (pois é, não é Palmeirenses) a Região Sul é tudo a mesma coisa, é tudo Gaucho. Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul são uma coisa só. Igual pra gente aqui do Sul, que junta e confunde tudo o que tem lá no Nordeste e no Norte. Inclusive foi o Márcio, um gaucho de Porto Alegre, que me disse o motivo de construirem uma cidade nova pra ser a capital do estado: Existiam umas 3 ou 4 cidades numa guerra política louca pra serem capital do Tocantins, mas ninguém levou, construiram Palmas e a paz reinou.

Por ser uma cidade de apenas 20 anos de idade (o estado do Tocantins foi fundado um ano antes, em 1988) praticamente todas as pessoas que conheci não eram nativas de lá. Engraçado é que sempre que a palavra "pioneiro" me vem à cabeça, me aparece a imagem de um senhorzinho cansado, que povoou uma região lá nos antigamente. Ora, eles eram jovens sonhadores naquele tempo, assim como o pessoal que conheci em Palmas, e esse sentimento de pioneirismo, empreendedorismo era muito forte nos bate-papos.

No centro da foto a "Praça dos Girassóis", centro do governo do Estado do Tocantins. E local cheio de monumentos, dos quais vou falar em outro post.


Uma cidade jovem, com gente jovem trabalhando em empregos de destaque. Espaço pra qualquer empreendimento em qualquer área. Ainda se luta com o clientelismo e o coronelismo nos orgãos estatais e em grandes empresas vinculadas à eles, mas isso aconteceu em todos os estados do País, e ainda acontece. Não seria diferente por lá.

Na questão cultural, vi muita vontade das pessoas em criar um cenário favorável pros artistas locais e dar-lhes visibilidade nacional. O pessoal trabalha pra minimizar os problemas gerados pelas distâncias continentais do Brasil e inserir a cidade no circuito nacional de arte e cultura de uma forma que não deixe a dever pra outras capitais. E eu adoraria voltar pra lá pra ver isso acontecendo.

Um grande abraço pra todo mundo de Palmas.

Até as próximas!


Veja mais fotos da cidade!


Ps: Em breve mais detalhes dessa viagem.

2 comentários:

Melz!nh@ disse...

Belíssimo post e belíssima cidade mesmo.
Acho que essa viagem fez muito bem pra ti...
Fico no aguardo de novos posts, inclusive falando sobre a respercussão do show que fizeram por lá. Beijooos

Ana Cláudia disse...

Ah que saudade da minha irmãzoca, eu também queria conhecer lá, visita-la, é uma pena que é longe pra xuxu...
Que bom que vc se divertiu, é esse o espirito da coisa, right?!
=o)